segunda-feira, 8 de julho de 2013

DICAS PARA TER UMA AGRADÁVEL VARANDA GOUMERT

Bem comum aos novos empreendimentos, a varanda gourmet ganha destaque entre os ambientes da casa por ser um espaço de convívio e lazer para a família. Em geral, a estrutura e a decoração do local oferecem condições para o preparo de uma boa refeição e uma agradável receptividade às visitas. Dessa maneira, transformar essa área na "queridinha" da casa ou de um apartamento não é difícil, mesmo se você dispõe de poucos metros quadrados.


Elementos essenciais

Como em qualquer cômodo da residência, o projeto da varanda ou terraço gourmet deve primeiramente atender às necessidades dos moradores, sempre considerando a dimensão do espaço disponível. Porém, neste ambiente social cozinhar e comer são os determinantes de todo o resto.

Ampliar

Para o preparo dos alimentos, uma área livre para a instalação de uma bancada equipada com, ao menos, uma cuba e cooktop elétrico é essencial. Além dela, uma mesa para as refeições, com cadeiras confortáveis, se mostra indispensável. "A mesa deve estar próxima a bancada de trabalho para que se mantenha o contato entre comensais e o cozinheiro em perfeita harmonia".

Meu imóvel não previa uma área gourmet. E agora?



Os novos empreendimentos geralmente já estão adaptados à "moda" da varanda gourmet, reservando um espaço amplo para este fim, com possibilidade de integração aos ambientes internos. Mas se seu imóvel não dispõe a princípio desta área, não se preocupe. É possível transformar a varanda ou terraço convencional neste ambiente social para refeições.

Se houver um ponto de água e outro de energia elétrica, a adaptação da varanda gourmet fica mais fácil. Mas ainda que o ambiente não disponha ligações hidráulicas e elétricas, um cantinho apenas para a finalização das refeições pode ser previsto.

Uma opção é instalar uma pequena bancada com cooktop .

Por sua vez, ressalvamos à aplicação de um projeto de reforma elaborado em apartamentos mais antigos. "Coifas ou dutos poderão interferir nas fachadas e se esses elementos não foram inicialmente previstos no conceito do edifício, dificilmente o condomínio permitirá a execução". Por isso, é importante que um conselho do prédio aprove a reforma e que a viabilidade de execução seja analisada por uma empresa de engenharia.

Poucos m²


Se os metros quadrados não são um limitador ao projeto completo do ambiente gourmet, há grande gama de possibilidades como uma bancada de apoio com cuba, uma churrasqueira ou grelha, frigobar ou bancada frigorífica, além de máquina de gelo, chopeira, um fogão ou cooktop, adega e até mesmo forno para pizza.

Agora se o espaço é reduzido, ao invés de uma bancada do tipo ilha, no centro do ambiente, opte por posicioná-la junto à parede, equipe-a somente com um cooktop e se restrinja a uma mesa redonda para refeições. Outra saída à falta de metragem é usar a cozinha principal como área de suporte para o preparo das refeições: na varanda gourmet, ficam apenas um charmoso aparador - onde a comida pode receber os toques finais - e a mesa com poucos lugares.

Em uma área de dois metros e meio por cinco metros se consiga ter uma pequena churrasqueira, uma área mínima de bancada com uma cuba e uma mesa redonda para quatro pessoas. Para dar uma sensação de amplitude ao local, uma boa idéia é usar como peça decorativa um espelho na parede que reflita a paisagem externa.

Nesta dimensão restrita, é imprescindível ter bom senso ao escolher o mobiliário e adequá-lo ao tamanho do ambiente. "Não congestione a varanda com muitos móveis para privilegiar a circulação das pessoas”.

Dê lugar ao verde


Reservar espaço ao verde em varandas gourmet ajuda a deixar o local mais agradável e aconchegante. Em um ambiente muito pequeno, tire proveito das paredes e pendure vasos, criando um painel vertical. Uma opção é plantar ali as ervas que podem ser usadas como temperos durante o preparo da comida. Além do fácil acesso ao cozinhar, algumas plantas como alecrim e manjericão perfumam o espaço.

Entretanto, em varandas mais amplas, não fique apenas nos vasos pequenos. Você pode até plantar espécies de médio e grande porte como uma bela jabuticabeira!

Decoração e manutenção


Em linhas gerais, a decoração da varanda gourmet deve acompanhar o estilo dos demais ambientes da casa, porém sugere-se o uso de peças coloridas, móveis em fibra ou madeira mais rústica e vasos com flores e plantas. Para elas, estes elementos transmitem maior descontração e informalidade.


Ampliar

Um churrasquinho no fim de semana é quase unanimidade para os brasileiros. Uma opção para manter uma "conversa" com os outros cômodos da casa é instalar na varanda o mesmo piso interno da sala, dando unidade aos ambientes. Para possibilitar mais aconchego ao espaço social, uma boa sugestão é a instalação de um sistema de som ambiente e iluminação indireta.

Se a dimensão do espaço permitir, projete armários e gavetas para guardar os aparelhos de jantar, talheres, jogos americanos e guardanapos. "Você não precisar ir buscar na cozinha toda vez que for fazer uma refeição na varanda, é mais prático e confortável ter tudo a mão no dia a dia".

Além da praticidade, pense na manutenção do ambiente gourmet. Se seu apartamento é novo e já foi projetado com esta área social específica, provavelmente o condomínio permitirá o uso de "janelões" de vidro, protegendo a varanda das intempéries. O fechamento facilitará (e muito) a limpeza e preservação do mobiliário.

A luminosidade direta do sol sobre os tecidos e a madeira dos móveis e do piso pode danificá-los com o passar do tempo. "Normalmente indico a colocação de persianas do tipo rolo e de películas de proteção para o vidro que eliminam quase por completo os raios nocivos UVA e UVB”.


Caso a varanda não tenha a proteção do vidro, escolha móvel de fibras sintéticas ou de madeira teca e prefira os tecidos impermeáveis, específicos para áreas externas, pois são materiais de alta durabilidade, que resistem bem ao tempo (chuva, vento e sol).

terça-feira, 7 de maio de 2013

CONHEÇA ALGUNS DOS PROCESSOS E DICAS PARA A PINTURA DE SEUS MÓVEIS


Os processos de pintura mais utilizados são:



:: Tingimentos (para dar a tonalidade requerida às lâminas e madeiras embelezando o móvel).
:: Aplicação de seladores (forma a base necessária à aplicação do verniz).
:: Envernizamento (além da beleza estética como brilho e sedosidade, protege o móvel por sua resistência a riscos e umidade).
:: Aplicação de fundos (forma a base necessária à aplicação de tintas ou laca).
:: Laqueação (efeito decorativo que apresenta um aspecto esmaltado, nas mais variadas cores, de acordo com o pedido do cliente).
:: Goffrato ( laca com textura, muito conhecido também como fórmica líquida, é um esmalte poliuretânico texturizado, de aspecto final fôsco, especialmente indicado para acabamento de móveis de escritório, cozinha, informática, dormitórios, estantes e racks).

Criação de efeitos especiais de pintura

Os efeitos de pintura mais utilizados são:
:: Decapê (marca os poros da madeira, normalmente em tonalidade clara).

:: Pátina (confere ao móvel um aspecto envelhecido, estriado numa única cor ou mesclado).

:: Alvejado (muito usado sobre o Pau Marfim confere ao móvel uma tonalidade clara, esbranquiçada e homogênea).

:: Pergaminho (confere ao móvel um aspecto de pergaminho).


:: Ebanizado (uma simulação da cor da árvore Ébano (nativa da África), confere ao móvel a tonalidade preta).


:: Marmorizado (simula o mármore).


Tintas para Madeira



Por vezes se torna uma escolha difícil devido à grande variedade de tintas para madeira existentes no mercado, vamos diferenciá-las:
1) Tintas à base de água são muito resistentes a luz.
2) Tintas à base de álcool, são mais fáceis de aplicar, mais difíceis de manchar, e se expandem de forma uniforme.
3) Tintas à base de cera, que como o nome indica também deixam o móvel encerado
4) Tintas à base de verniz, que colorem a madeira e a isolam da umidade, porém estas são mais difíceis de remover.
Por isto é bom fazer um teste num canto do móvel que não seja visível, e esperar secar para ver como fica.
Você pode recriar tons de coloração misturando cores (de um mesmo tipo: verniz com verniz- cera com cera-etc.).

Acabamentos

O acabamento tem a função de embelezar e principalmente proteger o móvel.

É um revestimento que deve formar uma película, ser ao mesmo tempo duro e elástico, estar perfeitamente aderido, suficientemente inerte à ação do ambiente e resistente aos fatores químicos e físicos, etc.
Os produtos mais comuns utilizados no acabamento de móveis são os vernizes, seladores, tintas e fundos.
Vernizes e seladores tem transparência.

Tintas e fundos não tem transparência, mas tem colorações diversas.

Dicas e sugestões

- O efeito é obtido com mais facilidade em áreas pequenas como móveis, portas, batentes ou armários.
- Em áreas grandes como painéis, paredes de madeira, é preciso maior cuidado para evitar emendas. Nesse caso um rolo de espuma maior é mais adequado.
- Para obter um aspecto mais envelhecido, após a secagem total do Gel, lixe levemente a superfície com lixa grana 600.
- Para um efeito diferenciado, o Gel pode ser aplicado sobre a Base ainda úmida.
- Desejando um acabamento brilhante, após a secagem total do Gel, aplique um verniz .

 Pintar chapas de MDF



A homogeneidade proporcionada pela distribuição uniforme das fibras possibilita ao MDF acabamentos do tipo envernizado, pinturas em geral ou revestimentos com papéis decorativos, lâminas de madeira ou PVC.

Podem também ser executadas junções com vantagens em relação à madeira natural, já que não possui nós, veios reversos e imperfeições típicas do produto natural.
Pintura de MDF tradicional.

Para se iniciar a pintura de uma chapa de MDF, deve-se primeiramente, realizar o lixamento da madeira e total retirada do pó.

Após este tratamento inicial deve-se passar algum material que impeça a absorção da tinta pela madeira.

Geralmente, utiliza-se o fundo branco fosco, que faz a selagem da madeira, e após a secagem deste, passa-se a tinta do tipo esmalte, da cor que se desejar.
Pintura de MDF sem o fundo branco fosco.

A função do fundo branco fosco é fazer a selagem da madeira, impedindo que a tinta seja absorvida pelos poros desta. 
Quando a tinta é passada, sem um tratamento inicial com esse fundo, a pintura com o esmalte fica de baixa qualidade e parte da tinta é absorvida pela madeira.

Entretanto, é possível fazer a pintura de chapas de MDF, sem o uso do fundo branco fosco. Isso é possível se aplicar algum tipo de seladora que feche os poros da madeira e impeça que a tinta seja absorvida pela mesma.
Deve-se lixar a madeira e retirar-se todo o pó que nela restar, em seguida deve-se passar uma seladora (resina de acetato de polivinila – PVA) e esperar a secagem.
As resinas acrílicas, que são a base de água demoram aproximadamente quatro horas para secar, enquanto que as resinas a base de solvente demoram apenas uma hora para a secagem, entretanto o preço da primeira é bem mais em conta que o da segunda.
A seladora pode ser aplicada com revólver ou em rolo e após a sua secagem, ela deve ser lixada, de modo que não de criem ondulações. Por fim, após esta fase, passa-se o esmalte.
O MDF pode ser encontrado na forma de chapas e estas podem ser vendidas pintadas ou não. 
Sua pintura é dispendiosa, pois necessita, tanto de uma selagem, como de uma tinta do tipo esmalte, além disso, gasta-se algum tempo para secagem.

Entretanto, a substituição do fundo branco fosco, material utilizado para a selagem da madeira, pode ser realizada, pelo uso de outro tipo de seladora.

Pátina


Pátina é uma técnica de decoração que sobrepõe tintas com a intenção de criar efeitos na madeira .

Preparação

Os móveis ou outras superfícies devem estar secas, limpas e uniformes. Metais como ferro e galvanizados devem estar isentos de graxa, gordura ou ferrugem.
Material necessário
· Base Efeitos Especiais na cor desejada
· Gel Efeitos Especiais na cor desejada
· Rolo de espuma
· Lixa grana 600
· Uma trincha
· Uma trincha serrilhada
· Você também pode encontrar o Kit para efeito pátina no mercado
Criando o efeito
1. Despeje uma parte da Base em uma bandeja plástica. Umedeça o rolo de espuma na Base, tirando o excesso;
2. Aplique uma demão da Base, com o rolo, em toda a superfície. Aguarde a secagem. Lixe levemente, com lixa grana 600 e tire o pó;
3. Umedeça a trincha normal na Base, tirando o excesso;
4. Aplique uma segunda demão da Base, com a trincha, em toda a superfície. Aguarde a secagem;
5. Umedeça a trincha serrilhada na própria embalagem do Gel, tirando o excesso;
6. Aplique uma demão do Gel, com a trincha serrilhada, em toda a superfície;

Todas essas etapas devem ser aplicadas na perpendicular. E no caso da madeira, no sentido dos veios do material.

Laqueação


Existem no mercado diversos produtos para aplicação e obtenção do efeito laqueado, e podem ser encontrados nas lojas especializadas em madeira.
O processo para laqueação é:
1 – aplicação de massa corrida acrílica;
2 – lixamento da superfície com lixa grana 220/280;
3 – aplicação de uma demão de fundo primer;
4 – depois de seco lixar com lixa grana 320;
5 – Aplicar outra demão de fundo primer;
6 – lixar com grana 360/400;
7 – aplicar a laca
8 – polimento.
É possível fazer o laqueamento colorido. Para isso usar uma pistola, para aplicação das demãos, adicionado diluente nas quantidades recomendadas pelo fabricante, para ajustar a viscosidade da tinta.


terça-feira, 30 de abril de 2013

DUAS OPÇÕES DE JARDINEIRAS, NA FACHADA OU NOS BALÇÕES.


Casas de dois pisos ou mais quase sempre têm a decoração externa restrita ao solo do térreo.


A ideia de colocar jardineiras nas janelas é muito antiga, muito usada na Europa e em algumas cidades serranas pelo país afora.


Sua adoção em projetos de paisagismo é possível, desde que seja compatível e harmônica com o tipo de arquitetura da residência.
Acrescentarão beleza e encanto à vegetação do ambiente da propriedade além de propiciar mais oxigênio aos moradores.

Uma jardineira de fachada precisa ser prevista

Vasos de janelas
Quando o projeto de execução da obra prevê sacadas ou mesmo balcões de alvenaria, estas serão confeccionadas durante a obra.

Quando fazem parte da casa, recuadas na fachada, não existe muito problema de peso, calculado ainda em projeto.


Quando é uma sacada ou balcão externo, projetado para fora das paredes, é preciso considerar um fator de segurança devido ao peso do material e dos substratos e plantas ali colocados.

É sempre importante saber se a estrutura pode arcar sem prejuízos com o novo peso representado pelas plantas.

Impermeabilização da jardineira ou do vaso

Com a obra pronta, o paisagismo entrará em execução.
Será preciso fazer a proteção das paredes da jardineira de alvenaria ou dos vasos.


Usa-se material vedante, usado na construção civil, em forma de manta ou tinta.
impermeabilizante para vasos
Os materiais da impermeabilização são encontrados em lojas de material de construção.
Aplicar segundo as instruções do fabricante contidas na embalagem. 

A tinta poderá ser aplicada com pincel velho que depois será descartado ou com um sarrafo envolto em uma camiseta velha amarrada.
Aplicar no mínimo duas demãos, aguardando a secagem entre elas.
Depois será preciso esperar alguns dias para que os solventes da mistura possam evaporar.
Para jardineiras ou vasos que receberão arbusto de alto porte recomenda-se inclusive o uso de uma manta anti-raiz, que não permitirá o desenvolvimento de raízes.
Quando isto ocorre, as raízes acabam saindo pelos furos de drenagem ou danificar a estrutura de alvenaria, podendo ocasionar infiltrações em andares abaixo.
Os vasos decorativos de cimento, concreto ou cerâmica também deverão receber o mesmo tratamento.

Caso a opção seja por jardineiras plásticas, não será necessário o procedimento.

Como forrar o fundo das jardineiras

Vamos plantar! Observar furos de drenagem para que possam ser protegidos.
Colocar geomanta no fundo todo, destas que se usam em construção civil e em aparelhos exaustores de cozinha.
Caso não disponha nem encontre no mercado, coloque pedrinhas ou cacos de vasos de cerâmica.

Este material irá tapar parcialmente o furo, impedindo que a terra da jardineira saia, sujando tudo ou então que forme um tampão impermeável, impedindo que a água de regas saia.


Caso desejar garantir ainda mais colocar uma camada fina de areia de construção por cima da manta ou das pedras.
flores nas janelas
Colocar parte do substrato adequado para as plantas que irá cultivar.
Acomodar as mudas segundo esquema elaborado, preencher as laterais e apertar o substrato ao redor da muda, fixando-a.
Depois de tudo pronto, regar bem.

Isto acomodará a terra ao redor do torrão da planta, preenchendo vazios e ela não irá tombar.


Durante alguns dias, colocar água todos os dias.
Se o projeto é de cultivo de cactáceas e suculentas, regar bem no plantio e depois deixar secar o substrato entre as regas.

CONHEÇA ALGUMAS SUGESTÕES PARA PLANTAS DE INTERIOR.



Plantas em vasos ou cachepôs!

Quem gosta de plantas sempre vai às floriculturas e adquire novas mudas.
Estas vêm em vasos de cultivo de plástico.
Para ornamentar nossa casa poderemos trocar por outros de cerâmica ou cimento, conforme o tamanho da planta.
Também poderemos optar pelo uso de cachepôs bonitos e conservar o vaso de plástico, mais leve para transporte.
Plantas de interior ajudam a colorir e trazer maior ambiência a nossas salas e são um adendo de grande valor na decoração.

Escolhendo a planta de interior em função da luz do ambiente

vaso janela vitral
Plantas de interiores têm uma característica em comum: não precisam de sol direto.
Mas isto não quer dizer sombra demais.
A luz é fundamental para que a planta realize seus processos metabólicos através da fotossíntese e esta somente ocorre quando em presença da luz natural.
Lâmpadas artificiais tentam minimizar o problema, mas as plantas que não recebem luminosidade suficiente definham e morrem.
Por vezes locais sem janelas têm plantas, como nos corredores de edifícios particulares ou públicos e a planta fica lá, definhando, sem água nenhuma ou afogada, por excesso de zelo de quem tem a obrigação de zelar por elas.
A mágica da planta bonita por si só não existe.
Se colocarmos o vaso em local inadequado para a planta, não haverá sucesso.

Plantas para ambientes sem luz direta

anturio no vasoAlgumas plantas são bastante resistentes à falta de luz direta.
É o caso do antúrio (Anthurium andreannum), que pode ser cultivado ao sol da manhã ou à meia sombra, com o sol coado por árvores ou cortinas.
Não dá trabalho e é belíssimo para decorar sua sala ou sacada.
Plante o antúrio em vaso fundo, pois precisa de profundidade.
São excelentes aqueles vasos que parecem um cone invertido e que agora estão na moda.
clivia miniata Outras plantas muito bonitas para cultivo dentro de casa ou para terraços e sacadas sem sol é a alocásia (Alocasia x amazonica) ou a clívia (Clivia miniata).
A primeira tem folhagem atrativa e exótica, a segunda produz belas inflorescência cor de laranja, muito ornamentais.
Mesmo que não tenha jardim, uma sacada ou um terraço podem abrigar um vaso com clívias.
Adquira um de boca larga e plante mais de uma muda, quando florir será um espetáculo.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

DÚVIDAS NA HORA DE ESCOLHER O REVESTIMENTO CERÂMICO ?


             Dicas para uma boa escolha


Leve em consideração os seguintes requisitos:
1- A procedência do produto.
Se tem qualidade, garantia de entrega e atendimento técnico da fábrica.
2 – O local de aplicação (Parede ou Piso)

Área residencial ou comercial
3 – Trânsito no local:

De pessoas
De veículos
Móveis que são comumente arrastados (ex: lojas de móveis, supermercados, shoppings etc).
4 – Tamanho, Tonalidade, Qualidade e PEI
5 – Umidade do local
6 – O assentador
7 – A metragem do local (m2)

Para não errar na escolha em relação as necessidades de uso.

Você só precisa observar a codificação abaixo:


Dicas que vão ajudar:



   A diferença piso e porcelanato.



A diferença básica está na absorção de água. 



Os pisos cerâmicos apresentam absorção de água entre 0,5% a 6%. Já os porcelanatos apresentam absorção de água menor que 0,5%.



Esta baixa absorção de água possibilita: 

-Alta resistência mecânica, suportando cargas pesadas, mesmo com menor peso e espessura que as pedras naturais.

-Alta resistência à abrasão, suportando tráfego intenso de pessoas e veículos.Alta resistência ao gelo, podendo ser utilizado em locais com climas muito frios.


-Baixíssima expansão por hidratação, não descolando se forem bem assentados.


-Possibilidade de se utilizar juntas de assentamento mínima, dando um acabamento diferenciado.


-Facilidade de assentamento.





Revestimentos com cerâmicas e porcelanatos!


As empresas de revestimentos cerâmicos apostam, atualmente, em leves texturas e continuam lançando grandes formatos de peças.

Encontramos peças desde 10x60cm, imitando madeira rústica até porcelanatos de 120x120cm.

Assim, com o uso de menos rejunte na hora de instalar as peças, os ambientes se tornam mais leves e elegantes.

A empresa Portobello lança novas linhas cerâmicas, entre elas estão, por exemplo, a Linha Ecoparquet Slim.

Uma linha que imita madeira, mas com a qualidade e comodidade do porcelanato, podendo ser usada tanto interna como externamente, inclusive em áreas molhadas, como varandas, banheiro, entre outros ambientes.

Os formatos também são pensados para dar ainda mais a idéia de paginação de madeira, em tamanhos 10×60, 10×120 ou 20x120cm, por exemplo.

Uma das Linhas de porcelanato lançada pela Gyotoku é a Paris Night.

Essa linha tem uma textura toda especial e forma uma composição muito charmosa.

Os tamanhos usados são de 60×60 para o piso e 30×60 para as paredes.

Neste caso, a paginação das paredes acompanhou o rejunte dos pisos no sentido horizontal e criou harmonia para o banheiro.

Onde é possível ver no ambiente abaixo o uso das peças tanto no piso como nas paredes, fazendo um jogo de composição – uma parede toda cinza, outra em faixas branco e cinza e o piso para contraste em branco.

Da Mosaik, a linha Hidraulik é feita de aço inox, com texturas criadas e desenhos que podem ser personalizados.
Podem ser usadas em paredes ou piso, e assim montar um visual surpreendente, inovador e muito pessoal.






ESTILOS NA DECORAÇÃO .


Para montar a decoração dos ambientes de sua casa, ou apartamento, normalmente você se baseia em que?
Provavelmente, procura visitar lojas do ramo, comprar revistas, pesquisar livros e matérias relacionadas ao ambiente e estilo que quer decorar.
É na casa de amigos, restaurantes, lugares, onde sai buscando referências de decoração para montar o ambiente em questão com o seu estilo personalizado.
Mas, você sabe qual é o estilo que mais se adéqua à sua personalidade e conseqüentemente a da sua casa ou seu escritório?
Quanto de importância a decoração influencia o comportamento, o conforto e as relações interpessoais dos usuários?
Decidimos então montar uma matéria com alguns estilos e épocas importantes e marcantes da arquitetura de interiores, que influenciou e influencia ainda gerações e gerações de decoradores, arquitetos e amantes de design.
Para classificar, resumindo, temos os estilos:
- Clássica
- Moderna
- Contemporânea
Dentre eles existem diversas subdivisões e misturas, que resultam em criações e ambientes bem distintos e elaborados.
Quando a decoração se inspira no ambiente de montanha ou praia
Podemos citar também, alguns estilos muito característicos, de acordo com a localização da cidade em questão e o dia-a-dia das pessoas.
Como por exemplo: o country, ou o despojado e colorido das cidades praianas.
Abaixo, uma imagem para ilustrar um ambiente colorido, despojado e confortável, usado em casas de praia e veraneio, com cores quentes, como o laranja e o rosa; essa combinação ficou perfeita.
Os móveis de vime, futons, o desenho do forro de madeira, dão charme e personalidade a esse lounge.

Para descrever um ambiente country, temos o caso abaixo. A foto mostra uma sala de jantar country, mas com toques clássicos, no uso do lustre dourado, a prevalência da cor branca, traz clareza e leveza ao ambiente, com um toque de sofisticação.
Os móveis de madeira identificam o estilo, pelas formas desenhadas, cores, almofadas aplicadas na madeira, o design das cadeiras, além dos puxadores dos armários e itens de decoração que complementam o espaço.
Detalhe é a estrutura aparente da tesoura do telhado, muito interessante.

CONSERTOS DE TELHADO. COMO FAZER ?


Consertar um telhado ou seja remover ou recolocar telhas que tenham sido danificadas, é sempre um trabalho que necessita de muito cuidado.


Altura – procure instalar uma corda de segurança para evitar quedas.
Telhas – não pise sobre as telhas, coloque uma tábua, ou uma escada deitada e amarrada.
Peso – Se tiver de trocar muitas peças não carregue muitas de uma vez, isto provoca desequilíbrio e aumenta as possibilidades de rachar as telhas que estão suportando o seu peso.
Faça pequenos montes distribuídos ao longo do percurso .
Chuva – Não trabalhe em cima de telhas molhadas, é escorregadio e quebram mais facilmente.
Vento – Reforce o beiral (prolongamento do telhado que ultrapassa o limite das paredes da casa) com a colocação de um forro ou amarrando as telhas com arame.


Infiltração e goteira no teto da casa

Não espere que goteiras apareçam para providenciar a manutenção do telhado. Fique atento aos cupins. Eles podem consumir as madeiras de sustentação e causar o deslocamento das telhas.
Mas se você constatou uma goteira no teto da sua casa, ou infiltração pela laje e até mesmo mofo perto do teto, primeiro é preciso saber a origem do problema.
Em época de chuvas é que esses problemas mais aparecem.
Normalmente, estão relacionados à cobertura ( telhado ) da sua casa.
Se o problema for muito grave – por exemplo, o teto está ficando encurvado com o volume de água, a qual está caindo em grande quantidade dentro de sua casa – não pense duas vezes: é preciso tomar uma providência urgente.
Se você percebe que sua segurança está em risco, talvez seja até preciso chamar o corpo de bombeiros.
Se for possível, retire os móveis do local. Mas, se não for esse o caso, talvez até você mesmo possa solucioná-lo.
É possível que algum cano tenha estourado – alguma coluna d’água que desce da caixa d’água, por exemplo.
Nesse caso, feche o registro geral imediatamente e abra as torneiras para esvaziar os canos.
Se houver aquecimento e você tiver canos de metal, desligue-o, para não danificar os canos.
Se, por acaso, existir algum vazamento perto de tomadas ou se água estiver saindo por elas, desligue imediatamente a chave geral, para não correr riscos.
Tomadas, lustres e acendedores são os que mais representam risco, quando a água de chuva escorre através deles.
De maneira alguma deve-se ligar o interruptor e acender a lâmpada quando estiver pingando água, pois isso pode provocar curto-circuito em toda a rede elétrica da casa.
Esse é um problema imediato e não pode esperar o tempo firmar. Nesse caso, chame o eletricista ou isole a tomada até que o defeito possa ser consertado.
Se você conseguir identificar o cano danificado, amarre um pano ou fita de vedação em volta( no local afetado ) e chame um profissional imediatamente.


Outro problema bastante comum, decorrente de fortes chuvas e tempestades é o destelhamento do telhado.
Quando um telhado é construído, existem indicações de inclinações e telhas que devem ser utilizadas.
Quando a inclinação do telhado é grande ou o local da sua casa está sujeito a grandes ventos, o fabricante recomenda até a amarração das telhas.
Se a instalação não foi feita adequadamente ou surgiu uma situação ímpar que provocou o destelhamento, esse pode ser o motivo da goteira ou infiltração.
Saia de casa ou então, se você tiver acesso ao forro e isso for possível, procure tentar localizar algum ponto que esteja sem telha. Se for esse o motivo, você até pode tentar colocar uma nova telha no local.
No entanto, é preciso muito cuidado com a sua segurança, pois esse tipo de trabalho é bastante perigoso e deve ser evitado quando as telhas estiverem molhadas.
Regra número 1:

Por mais que a goteira incomode, é proibido subir no telhado úmido ou quando não se tem certeza de pisar nas telhas com segurança.
Não são poucos os acidentes, como a queda de telhados ou lajes escorregadias.


Calhas entupidas ou sujas também podem provocar goteiras e infiltrações.
Para sanar o problema é preciso limpá-las e também o bocal, retirando folhas e outros materiais que impedem o escoamento da água.
Trata-se de uma tarefa simples, mas que também requer muito cuidado com os aspectos de segurança.
Verifique se as calhas e condutores não estão sujos a cada seis meses.
É necessário retirar as telhas laterais e limpar com uma escova.
Quanto ao condutor, basta inserir um pedaço de madeira ou ferro para desobstruir.
Podem existir, ainda, outros problemas, tais como ferrugem, emenda estourada ou buracos. Ou, ainda, talvez seja preciso trocar a calha.
Chame uma empresa especializada e solicite orçamento, antes de fechar contrato para resolver esse problema.
Lembre-se, no entanto, que uma calha deve ser limpa periodicamente, para evitar esse tipo de problema e ter uma vida útil longa.
Tome cuidado com telhados localizados perto de árvores devido ao excesso de sujeira.

PARA FAZER UMA OBRA DE ARTE NÃO BASTA TER TALENTO, NÃO BASTA TER FORÇA

' O que me atrai é a curva livre e sensual.A curva que no encontro sinuoso dos nossos rios, nas nuvens do céu, no corpo da mulher preferida.
De curva é feito todo o universo.O universo
curvo de Einstein '

Henrique Mattioli @ Arquitetura Headline Animator

Alguns projetos meus

Abaixo apresento alguns projetos elaborados por mim por este nosso Brasil afora !

Residência em Varginha - MG

Residência em Varginha - MG

Residência em Varginha - MG

Residência em Varginha - MG

Residência em Varginha - MG

Residência  em Varginha - MG

Residência em Varginha - MG

Residência em Varginha - MG

Residencia de campo em Coqueiral - MG

Residencia de campo em Coqueiral - MG

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Prédio em Pomerode - SC

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residencia em Porto Seguro - BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Fachada frontal

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Fachada

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Living

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Sala de Jantar

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Living

Residência no Paraíso do Pataxós - Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso do Pataxós -  Porto Seguro -BA
Living

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Vista do Home Theater

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Vista da escada

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Vista da piscina

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Suíte Master - Sala de banho

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Cozinha

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Parcial da fachada mostrando a garagem e no superior suítes dos filhos

Residência em Porto Seguro -BA

Residência em Porto Seguro -BA
Fachada ( foto tirada na exeução)

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Fachada - detalhe do telhado

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Detalhe do balcão da cozinha

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Vista da cozinha pela escada

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Vista da escada e ao fundo a sala de jantar.

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA

Residência no Paraíso dos Pataxós em Porto Seguro -BA
Fachada lateral

Maquete humanizada em Varginha

Maquete humanizada em Varginha

Maquetes eletrônicas humanizadas

Apresento agora algumas maquetes eletrônicas criadas por mim.

Maquete de uma residência em Arraial D'Ajuda-BA

Maquete de uma residência em Arraial D'Ajuda-BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA
Reforma e ampliação do Residencial Maryporã em Porto Seguro - BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA

Maquete eletrônica humanizada em Arraial D’Ajuda - BA
Projeto para a nova portaria do Sitio Dida.